Advocacia Cível, Consumidor e Família

Controle de Processos

Notícias e Artigos

Desembargadores Isabel Cogan e Carlos Dias Motta tomam posse no TJSP

Solenidade aconteceu na sede do Judiciário Paulista.           O Tribunal de Justiça de São Paulo realizou ontem (10) a posse solene de Maria Isabel Caponero Cogan e Carlos Dias Motta como desembargadores da Corte bandeirante. Com décadas de serviços prestados à Magistratura, ascenderam ao grau mais elevado do Judiciário estadual em cerimônia realizada no Salão do Júri do Palácio da Justiça. No início da solenidade, comandada pelo presidente do TJSP, desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, os novos integrantes receberam o Colar do Mérito Judiciário e assinaram o termo de posse.         Orador em nome do Tribunal de Justiça, o desembargador Antonio Carlos Malheiros rememorou as trajetórias de Maria Izabel e Carlos Dias Motta, que também estudaram na mesma faculdade – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) –, foram aprovados no mesmo concurso de ingresso na Magistratura e assumiram o cargo de juiz substituto na mesma data (30 de outubro de 1989). “Me sinto envaidecido pela escolha dos empossados, entre tantos desembargadores melhores do que eu, para saudá-los neste momento tão importante”, disse. Ele destacou as qualidades dos colegas empossados e desejou sucesso na nova etapa da carreira: “Isabel e Carlos, que Deus os abençoe neste momento preocupante que atravessamos, com a certeza que com trabalho, senso de Justiça, coragem e bondade – qualidades que sobram em vocês –, continuarão vencedores”, conclui Malheiros.         O desembargador Carlos Dias Motta proferiu discurso repleto de apreço à Justiça e à Corte Bandeirante. Ele destacou o significativo de ser empossado na mesma data em que se comemora a promulgação da Declaração Universal dos Direitos Humanos e o empenho do Judiciário paulista em cumprir sua missão rumo à pacificação social. Agradeceu, ainda, aos que contribuíram para seu crescimento e experiência – magistrados, servidores, amigos e familiares. “Alcançar o mais alto degrau na carreira do Judiciário Paulista, e fazê-lo formalmente diante de tão seleto auditório, é honraria imensa. Agradeço a Deus por esse momento, que alcançou meu coração e minha mente de forma perene”, declarou.         “Fico muito feliz de compartilhar e comemorar com os senhores este momento de conquista pessoal, porque isso potencializa nossa alegria e nos diz que nosso esforço é reconhecido”, afirmou a desembargadora Isabel Cogan. A magistrada relembrou os mais de 30 anos de judicatura e destacou se tratar de um longo percurso que a transformou como profissional e como pessoa. Ela também convidou os presentes a uma reflexão sobre os tempos difíceis de crise financeira e desigualdade social que vivemos, que reforça a importância de um Poder Judiciário forte e independente. Em seus agradecimentos, a magistrada, emocionada, se dirigiu aos familiares – especialmente ao marido, o desembargador José Damião Pinheiro Machado Cogan, e ao filho Felipe – amigos, funcionários e colegas de carreira.         Entes de encerrar a cerimônia, o presidente Pereira Calças congratulou os desembargadores empossados. “Meu abraço cordial a Vossas Excelências. A história da Magistratura é essa, feita de coincidências e laços, de amigos e pessoas que se respeitam e têm amor pelo Tribunal de Justiça. E foi isto que vivenciamos hoje, aqui, neste sacrário da Justiça paulista.”         Participaram da solenidade o secretário de Estado da Justiça e Cidadania, desembargador Paulo Dimas Debellis Mascaretti, representando o governador do Estado de São Paulo; o ministro da Justiça José Carlos Dias; o vice-presidente do TJSP desembargador Artur Marques da Silva Filho; o corregedor-geral da Justiça do Estado de São Paulo, desembargador Geraldo Francisco Pinheiro Franco, eleito presidente do TJSP para o biênio 2020-2021; o presidente da Seção de Direito Público do TJSP, desembargador Getúlio Evaristo dos Santos Neto; o presidente da Seção de Direito Privado do TJSP, desembargador Gastão Toledo de Campos Mello Filho; o presidente da Seção de Direito Criminal do TJSP, desembargador Fernando Torres Garcia; o 2º vice-presidente da Associação Paulista de Magistrados, desembargador Claudio Antonio Soares Levada, representando o presidente; o presidente da Federação Latino Americana de Magistrados, desembargador Walter Rocha Barone; o ouvidor do TJSP, desembargador Mohamed Amaro; o vice-presidente do TJSP eleito para o biênio 2020/2021, desembargador Luis Soares de Mello Neto; o corregedor-geral da Justiça do Estado de SP eleito para o biênio 2020/2021, desembargador Ricardo Mair Anafe; o presidente da Seção de Direito Privado eleito para o biênio 2020/2021, desembargador Dimas Rubens Fonseca; o ex-vice-presidente do TJSP e ex-corregedor-geral da Justiça de São Paulo, desembargador Antonio Carlos Munhoz Soares; ex-corregedor-geral da Justiça de São Paulo, desembargador Maurício da Costa Carvalho Vidigal; ex-presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Mario Devienne Ferraz; o chefe da Assessoria Policial Militar do TJSP, coronel PM Sérgio Moretti; o desembargador José Damião Pinheiro Machado Cogan,  esposo da desembargadora Isabel Cogan; a mãe da empossada, Neuracy Christovam Caponero; o filho Felipe; a esposa e a mãe do desembargador Carlos Dias Motta, Maria Teresa Miraglia Cortes e Vera Cecília Dias Motta, respectivamente; os filhos do empossado, Luísa, Lígia e Paulo; muitos desembargadores juízes, integrantes do Ministério Público, defensores públicos, advogados, autoridades civis e militares, servidores da Justiça e familiares.           Trajetórias         Maria Isabel Caponero Cogan – Nasceu em São Paulo, no ano de 1961. Bacharelou-se pela Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica (PUC/SP), turma de 1986. Iniciou a carreira na Magistratura em 1989, como juíza substituta da 16ª Circunscrição Judiciária, com sede em São José do Rio Preto. Ao longo da carreira, trabalhou também em Maracaí, Paraguaçu Paulista, Embu, Itapecerica da Serra e na Capital. Foi removida ao cargo de juíza substituta em Segundo Grau no ano de 2012. Assume a vaga decorrente da aposentadoria da desembargadora Lucila Toledo Pedroso de Barros.         Carlos Dias Motta – Natural de São Paulo, nascido em 1963, formou-se em Direito pela Pontifícia Universidade Católica (PUC/SP), turma de 1988. Iniciou a carreira na Magistratura na 2ª Circunscrição Judiciária, com sede na Comarca de São Bernardo. Ao longo da carreira, trabalhou também nas comarcas de Bananal, Itaquaquecetuba, Poá, Osasco e São Paulo. Chegou ao cargo de juiz substituto em Segundo Grau no ano de 2013. Assume o cargo de desembargador decorrente da aposentadoria de Marco Antonio Marques da Silva.            Mais fotos no Flickr.                    imprensatj@tjsp.jus.br
11/12/2019 (00:00)
Visitas no site:  374774
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.